(11) 3207-7618

Plano de Aposentadoria Extraordinária (PAE) da Eletrobras é bem diferente do divulgado antecipadamente pela presidência.

Quinta-feira, 09 de Março de 2017

Brasília – O Presidente da FENATEMA Eduardo Annunciato, Chicão e dirigentes dos sindicatos filiados participaram ontem 08/03 de reunião com a Eletrobras para discutir o Plano de Aposentadoria Extraordinária.

A Eletrobras busca a adesão de empregados já aposentados pelo INSS ou os que estão com idade e tempo de contribuição possíveis para entrar com o pedido na Previdência. Nesta condição, segundo a empresa, estão mais de 4.600 empregados. Pelos cálculos da companhia o Programa de Incentivo ao Desligamento, terá um custo neste momento de R$ 1,9 bilhão.

Para a FENATEMA, trata-se de uma manobra perigosa para os trabalhadores, tendo em vista que os depoimentos feitos pelo presidente da Holding, Sr. Wilson Ferreira Júnior, em suas visitas nas empresas da Eletrobras geraram, grande expectativa nos trabalhadores sobre este plano de aposentadoria, adiantando inclusive valores bem diferentes e em condições superiores ao que foi apresentado agora.

O presidente da FENATEMA, Chicão, mostrou-se indignado com a proposta de incentivo à aposentadoria apresentada oficialmente pela empresa, para ele além da questão financeira estar muito aquém do esperado pelos trabalhadores, existem critérios restritivos na proposta atual, tendo, por exemplo, a imposição da idade mínima de 55 anos. “Se o trabalhador está aposentado pela previdência oficial, ele é quem deve ter a escolha de sair ou não, analisando suas condições, o Incentivo deve ser para todos os Aposentados, e obviamente, para realizar qualquer plano de desligamento voluntário, a Eletrobras e as empresas do grupo já devem ter os Editais de Concursos prontos para que a mão-de-obra que está saindo seja substituída por novos trabalhadores, pois as demandas e atividades continuam, e quem é que vão atende-las? Ou a empresa pretende causar sobrecarga de trabalho aos que ficarem expondo os mesmos a riscos, incidentes, acidentes, ou até mesmo mortes por acidente de trabalho? ”.

Em resposta à Eletrobras, a Fenatema irá oficiar a empresa com o objetivo de registrar o tamanho da frustração que esta proposta causou nos trabalhadores das empresas do grupo e também irá questionar a reposição da mão-de-obra. No ofício a FENATEMA pede ainda que seja suspenso o Plano de Aposentadoria Extraordinária até que seja apresentado as melhoras conforme a empresa havia o prometido.

Fonte: Assessoria

VOLTAR ÀS NEWS